A diversidade cultural e natural do Acre pode ser vislumbrada através de sua arte e pelo seu rico artesanato.

Flora, fauna, religiosidade, questões étnicas, folclóricas ou as marcas da cultura local ressaltam a identidade do seu povo e do artesanato acreano.
Confeccionada pelas mãos habilidosas de diversos talentosos artesãos, os quais através de matérias primas naturais e diversificadas registram traços vivenciais, costumes, crenças e hábitos.

As peças são confeccionadas com fibras, sementes e cipós. Além de contar com o artesanato feito com madeiras regionais e o artesanato cerâmico da região do Maruanum.
Os artesanatos do Amazonas são feitos desde sementes a fibras, pedras, cipós e madeiras da floresta.

Os itens vendidos são diversos como pulseiras, colares, óculos, bolsas, mochilas, abanos, redes, chaveiros, fruteiras, cestos, adegas de madeira, jogos americanos, porta copos, luminárias e bandejas.
A característica marcante no artesanato paraense é sua origem indígena.

Utilizando de todos os tipos de material retirado da própria região, e representa-se por vários ramos como cerâmica, cestaria, talha, objetos de madeira, de ouriço, de cheiros, de conchas, cuias e outros matérias, criando um segmento importante e criativo da nossa cultura.
Quando falamos em cerâmica, dois grupos se destacam: os marajoaras e os tapajônicos. Produzindo artesanatos regionais como a cerâmica, cuia, miriti, balata, entalhe em madeira, palha, artigo em cheiro e carimbo.
A riqueza cultural de Rondônia está presente nos mais diversos tipos de manifestações artísticas. A arte é revelada no barro, na madeira, nas fibras, palhas, no couro e tantos outros materiais.
A influência indígena é muito forte no artesanato roraimense.

Raízes, palhas, cipós, buritis e cascas de árvores fazem parte da matéria-prima utilizada para a produção das peças.

Indígenas e artesãos soltam a criatividade e confeccionam um artesanato original, que retrata as nuances da cultura regional.
As mãos que trançam o capim dourado e a palha do buriti, que cortam a madeira e o coco babaçu, que forjam o ferro e as pedras, que manipulam sementes, barro, cristais, tecido e outras matérias-primas.

Carregam não apenas talento, mas uma luta incessante pelo reconhecimento de um trabalho árduo.

ESCRITÓRIO: (41) 3233 9848

WHATSAPP: (41) 98451-6945

R. JOSÉ LOUREIRO, 133 - CENTRO, CURITIBA - PR






    AO PREENCHER O FORMULÁRIO, AUTORIZO A FEIARTE A UTILIZAR OS DADOS FORNECIDOS, EXCLUSIVAMENTE PARA OS FINS AQUI MENCIONADOS.