Alagoas tornou-se referência nesse segmento com peças únicas, que encantam o mundo todo. Temos o melhor do bordado genuinamente alagoano, a renda de bilro, as barras de redendê nas toalhas, os caminhos de mesa de patchwork e os delicados bordados " boa noite".
Bordados, carpintaria, cerâmica, cestaria, costura, papietagem, renda, tapeçaria, tecelagem, entre outras tipologias, unem tradição e inovação, numa intrincada rede de influências e origens.A Baía de Todos-os-Santos é berço da tradição da cerâmica Aratu e da nossa miscigenação cultural, pródiga em cheiros, sabores e ritmos. Por mãos afro-brasileiras, nessa região, são produzidas rendas de bilro, bordados em richelieu e barafunda, entre outros, cerâmicas moldadas a mão e miniaturas de saveiros. A área abriga também o maior centro oleiro de cerâmica utilitária da América Latina, Maragogipinho, no município de Aratuípe.
Mescla de indígenas, negros e brancos, o cearense é um dos povos mais alegres do Brasil. E criativo, também: eles dominam várias técnicas e conseguem transformar argila, madeira, couro, fios finísimos como a linha ou rústicos como o cipó em peças de arte.
Na cadência dos bilros as mulheres vão tecendo filigramas: assim nascem as rendas, também conhecidas como "da terra".
O artesanato maranhense é criativo e diversificado. Nas mãos das artesãs a fibra da palha do Buriti, palmeira típica da região, se transforma em bolsas, vasos, chinelos, toalhas de mesa, redes, chapéus, bijuterias e muitos outros itens de vestimenta e ornamentação ecologicamente corretos.
O Artesanato é uma das maiores expressões da cultura paraibana. Através de um simples objeto se manifestam o modo de vida de um povo trazendo crenças, costumes, tradições e histórias. São várias as tipologias presentes no artesanato paraibano, tais como: fios (renda renascença, labirinto, macramê, fuxico, crochê, tricô, bordados, etc), madeira, cerâmica, tecelagem, metal, brinquedos populares, arte indígena, fibras, barro, couro, escama de peixe, metal, pedras, habilidades manuais, arte indígena. Com técnicas passadas entre gerações os artesãos perpetuam a tradição e a sua identidade cultural.
O Artesanato é uma das maiores expressões da cultura paraibana. Através de um simples objeto se manifestam o modo de vida de um povo trazendo crenças, costumes, tradições e histórias. São várias as tipologias presentes no artesanato paraibano, tais como: fios (renda renascença, labirinto, macramê, fuxico, crochê, tricô, bordados, etc), madeira, cerâmica, tecelagem, metal, brinquedos populares, arte indígena, fibras, barro, couro, escama de peixe, metal, pedras, habilidades manuais, arte indígena. Com técnicas passadas entre gerações os artesãos perpetuam a tradição e a sua identidade cultural.
O artesanato do Piauí e reconhecidamente um dos mais encantadores pela diversidade de material. Todos se rendem aos encantos do artesanato piauiense, que oferece bolsas, vasos, tapetes, espelhos, bordados, esculturas, talhas de muitos tipos de madeira e metais. A diversidade de materiais e a principal característica que salta aos olhos no artesanato do Piaui. Cerâmica vermelha e branca, palha, madeira, couro, coquinho de tucum, argila, fibras naturais, Carnaúba, buriti e a pedra opala mostram a riqueza natural do estado.
A origem do artesanato do estado do Rio Grande do Norte sofre muita influência dos materiais locais que são encontrados e transformados pelos artistas. Além disso, vale ressaltar que em cada região do estado os artigos artesanais sofrem variações, tudo conforme a presença e abundância das matérias-primas disponíveis.Entre os materiais da flora nativa e da fauna, é possível destacar: penas de aves; planta da juta; sisal; sementes; bucha; bambu; conchas; palha de milho e de bananeira; areia colorida; vime; casca de coco; barro. Diferentes formas de trabalhos artesanais da região.
É uma grande pluralidade de produção artesanal, fruto de mãos de gente simples, que, com dedicação e amor a arte, valendo-se de técnicas arcaicas, passadas de pais para filhos, cria e recria belíssimas peças de artesanato sergipano, transformadas em fonte de renda e em elemento de identidade sócio-cultural.

ESCRITÓRIO: (41) 3233 9848

WHATSAPP: (41) 98451-6945

R. JOSÉ LOUREIRO, 133 - CENTRO, CURITIBA - PR






    AO PREENCHER O FORMULÁRIO, AUTORIZO A FEIARTE A UTILIZAR OS DADOS FORNECIDOS, EXCLUSIVAMENTE PARA OS FINS AQUI MENCIONADOS.